sexta-feira, 10 de setembro de 2010

EDIÇÃO 2010




BAQUES NA ESCOLA







APRESENTAÇÃO MUSICAL DIDÁTICA que conta a história da música de raiz acreana através dos instrumentos tradicionais e do repertório do compositor Antônio Pedro e da performance musical de Antonio Honorato e Sra Carmem Almeida, todos músicos tradicionais da velha guarda da floresta.
O arte educado Alexandre Anselmo fez a função de mediador, apresentando os instrumentos, contando a hitória e executando os mesmos.
Destacamos aqui os agradecimentos pela parceria com o Centro de Multimeios, da SEME, Secretaria de educação do municipio de Rio Branco, que apoiou com transporte, contato com escolas, equipamentos e com a equipe externa que somou com a música, contação de história e apoio logístico.
O objetivo da atividade é realizar um encontro musical entre gerações através de uma vivência, onde todos participem e compartilhem de sua propria herança musical, com o fim de reconhecer e fortalecer a identidade.
O roteiro segue com os agogos de castanha que imitam o canto do sapo sururú, que mora dentro do formigueiro da formiga de roça. Os índios, Txais, escutando o ritmo do Sururú aprenderam o baque chamado de samba pelos seringueiros nordestinos, que era tocado com os tambores de tronco chamados de tamborins.
Na festa do Cupixau, barracão de festa indígena, chegou o reco, o maracá e a cuíca, todos de origem indígena, e resolveram convidar para a festa o Sr Antonio Pedro com o violão de afinação que ele chama de "sustenida".
Com ele, vieram os instrumentos dos cariús, os brancos: o triângulo, o cavaquinho, o zabumba, a harmonica, e inventaram de tocar com as colheres, inventaram o espanta-cão e o tambor de pele de borracha.
No término desta feliz história contada musicalmente, Antonio Pedro chama os mirins para aprenderem os refrões de suas canções.

A equipe foi composta por:
Antonio Pedro: violão, voz e harmônica
Antonio Honorato: tamborins, agogo, colheres e zabumba
Carmem Almeida: voz e maracá
Alexandre Anselmo: contação de história, e todos outros instrumentos.

Equipe multimeios:
Tanaka Oliveira, Kelen, Lásara, Ione, Marília.

Foram atendidas 4 escolas municipais que abrangem o ensino fundamental I e uma apresentação no Teatro Plácido de Castro no I Fórum de arte educação do Acre.


Escola municipal Iza Melo

Participação na festa de aniversário da escola.
Atendimentos:



Antonio Pedro e Sra Carmem







Flagrante do flagrante: professoras fotografando professoras dançando




Os pequenos acompanhando o ritimo dos baques


E não eram poucos


O pessoal multimeios participando da música e dentro da cantina, até a cozinheira "bailhando"


Da direita para a esquerda: Antonio Honorato (76 anos) tocando colheres, Alexandre no violão, Antonio Pedro (69 anos) na harmônica e Sra Carmem (62 anos) cantando.


Antigamente a música não tinha idade, era para todos, por isso a simbiose acontece, crianças se alegram com os baques dos seringais. O Clima é positivo, se alegria e saúde mental e espiritual.




Escola municipal São Francisco de Assis

Data:
09 de setembro
Atendimentos

Manha:99
Tarde:115





Escola localizada nas antigas comunidades ayahuasqueiras das barquinhas






Escola municipal Luís de Carvalho Fontenelle

Data:
31 de agosto
Atendimentos

Manha:140
Tarde:113



Os pequenos se indentificam com os refrões




No chao, um tambor com pele de borracha



Momento solene da montagem da pele de borracha na lata do tambor, que sempre que utilizado deve ser montado na hora.



Escola municipal Maria Lúcia

Data:
30 de agosto
Atendimentos

Manha:76
Tarde:78

Apresentação para criança do coral Boca Pequena








VEJA O VÍDEO
APRESENTAÇÃO ESCOLA SÃO FRANCISCO DE ASSIS




TEATRO PLÁCIDO DE CASTRO

1o Fórum de Arte Educação do estado do Acre
Atendimento: 480



Apresentamos para os profissionais da área, professores, artistas, educadores e outros, elementos quase extintos de uma cultura.



Tivemos a participação especial da percussionista e arte educadora Marilua.
Antonio Pedro é um dos poucos músicos que ainda tocam harmônica no Acre, pois em Rio Branco não temos conhecimento de outro.


Antonio Honorato mais uma vez executando as colheres percutidas sobre as pernas, enquanto Alexandre acompanha nos tamborins de tronco de tucumã.







ATIVIDADES DESTA EDIÇÃO

-Formação da Banda das Pastorinhas do 2º distrito
-Oficina de cordas dedilhadas (violão e cavaco)
-Oficina de lutheria em percussão ou manutenção / restauração / reforma de instrumentos de cordas
-Baques na escola



Formação da Banda das Pastorinhas do 2º distrito

1-INSTRUMENTOS DE CORDAS
Local: Casa de cultura Neném Sombra (Bairro 15)
Parceria: Pastorinhas do 2º distrito
Público: adolescentes das pastorinhas
Horário: as manhãs de Quarta e sexta feira, a partir das 9h.
Metodologia:
Oficinas de musicalização utilizando suporte teórico aplicado à prática através de repertório próprio das pastorinhas.
- 2h de aula, 2 vezes por semana; total 4hs semanais, total em 3 meses de curso: 48hs
Conteúdo:
1-Teoria e percepção: notas na pauta e teclado; melodia e harmonia; figuras e rítmos; intensidade e dinâmica;
2-Instrumentos de cordas: Leitura de cifras; exercícios de coordenação para mão esquerda e direita; execução do repertório das pastorinhas em ensaios; escolha de alunos que já possuem experiência;
3-Ensaios gerais e apresentações: repertório oficial das pastorinhas de acordo com personagens.

Incrições encerradas.
Professor: Jardel Costa


2-PERCUSSÃO
Local: Casa de cultura Neném Sombra (Bairro 15)
Inscrições abertas
Parceria: Pastorinhas do 2º distrito
Público: crianças e adolescentes das pastorinhas
Metodologia:
Oficinas de musicalização utilizando suporte teórico aplicado à prática através de repertório próprio das pastorinhas.

Conteúdo:
1-Instrumentos de percussão: Leitura e execução de compassos; contagem silenciosa e pausas; manulação com paradidos e acentuação; execução e ensaios de ritmos brasileiros: ciranda, marcha rancho, baques do acre, baião; execução do repertório das pastorinhas em ensaios; escolha de alunos que já possuem experiência;
2-Teoria e percepção: figuras e rítmos; intensidade e dinâmica
3-Ensaios gerais e apresentações: repertório oficial das pastorinhas de acordo com personagens.
Período: agosto a outubro
Horários:Tarde, Quartas e sextas.
Professor: Magno





OFICINA DE CORDAS DEDILHADAS: CAVACO E VIOLÃO

Parceria: Comunidade Vila Irineu Serra
Contato: Alexandre
Local: Escola Mestre Irineu Serra
Público: crianças de 07 a 11 e jovens de 12 a 29
Metodologia:
Oficinas de musicalização utilizando suporte teórico aplicado à prática através de repertório da música brasileira. A única canção religiosa utilizada será o hino “Refeição” do Mestre Irineu.
Turmas divididas por faixa etária:
-Crianças: 40min de aula
-Jovens: 2:30h de aula

Vagas:
-Turma 1; crianças de 06 a 12 anos: 15
-Turma 2; jovens de 13 a 29 anos: 20
Período: agosto a outubro
Horários: Sábados: crianças- das 13:00h às 13:40h e jovens- das 14:00h as 16:30h
Professor: Alexandre


Oficina de lutheria em percussão MANHÃ
Horários: Sábados, as 8h e as 14h, Local sede REAJA
Contato: Grupo NATIVOZ
Público: jovens de 14 a 29
Metodologia: Oficina prática que ensina técnicas de utilização das madeiras e dos critérios de sonoridade através da participação dos processos de preparo de materiais, beneficiamento, montagem, acabamento e afinação de instrumentos de percussão.
Serão utilizadas ferramentas e máquinas simples e portáteis e material de consumo próprio.
-3:00h de aula
Conteúdo:
1-tambor zabumba (feito de ripas previamente cortadas; o aluno participará do beneficiamento em diante)
2-Reco reco de bambu
3-maracá
Vagas: 20
Período: agosto a outubro
Instrutor: Salomão e Sady



Oficina de lutheria em manutenção / restauração / reforma de instrumentos de cordas
Horários: Sábados, as 8h e as 14h, Local sede REAJA
Contato: Grupo NATIVOZ
Local: sede REAJA
Público: jovens de 14 a 29
Metodologia:
Cada participante DE PREFERÊNCIA DEVERÁ comparecer com instrumento que necessite de reforma ou restauro, para aprender os princípios da luthieria em cordas. Caso não tenha o instrumento, será emprestado um instrumento para tal fim.
Serão utilizadas ferramentas e máquinas simples e portáteis e material de consumo próprio.
-3:00h de aula

Conteúdo:
Lixamento, colagens em geral, envernizamento, polimento, troca e regulagem de trastes, confecção e regulagem de rastilhos e restauração de escala.
Vagas: 20
Período: agosto a outubro
Horários: Sábados, manhã as 9h e tarde as 14h
Instrutor: Denis





REAJA:
A Rede Acreana de Jovens em Ação – REAJA, nasceu a partir dos interesses e compromissos de jovens, compromissados com um futuro mais humanitário, para elaborar uma proposta de projeto participativo e sustentável, que possa atender as principais necessidades da juventude desta região.
É uma organização da Sociedade Civil de Interesse Público, constituída por pessoas comprometidas com a valorização do ser humano e do meio ambiente, se baseando nos princípios universais dos direitos á vida e a dignidade.
Este projeto é financiado pela UNESCO e Rede Globo/Criança esperança, e tem parceria com diversas comunidades e instituições locais.

INSCRIÇÕES:
SEDE da REAJA
Rua Floresta 115, Bairro Conquista, Fone:32280656
Onibus Mocinha Magalhães.
Referência: travesa da rua Otávio Rola e Valdomiro Lopes.
VAGAS LIMITADAS CURSOS GRATUITOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário